Detido de Guantánamo se recusa a abandonar prisão americana

Washington, 23 Jan 2016 (AFP) - Um detento iemenita que havia recebido permissão para sair da prisão militar americana em Guantánamo, onde passou quase 14 anos, decidiu ficar na penitenciária da base militar dos EUA em Cuba - disse um porta-voz do Pentágono nesta sexta-feira.

Mohamed Ali Abdullah Bwazir seria transferido na quarta-feira, mas mudou de ideia de última hora, afirmou Gary Ross.

"Não podemos discutir os detalhes da decisão de um preso de não aceitar uma transferência a um terceiro país, salvo que se indique que não aceitou a oferta de realocação", limitou-se a explicar Ross.

O prisioneiro iemenita permanece na lista de pessoas, cuja transferência foi aprovada e os funcionários continuarão tentando lhe fazer reconsiderar para que deixe a prisão criada após os atentados de 11 de setembro de 2001, completou a mesma fonte.

A prisão abrigou até 680 réus em seu pico de atividade em 2003. O governo de Obama está tentando desde 2009 fechar a polêmica prisão.

"Começamos outra vez a tentar negociar com diferentes países" para sua transferência, disse Ross.

O advogado de Bawazir, John Chandler, declarou ao jornal The Miami Herald que seu cliente havia se tornado um personagem como o do filme "Um sonho de liberdade" (1995), no qual não poderia se adaptar à vida fora de uma prisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos