Merkel, isolada, busca ajuda de Ancara para reduzir fluxo de migrantes

Berlim, 22 Jan 2016 (AFP) - Angela Merkel, que tem encontrado resistência em seu país e está isolada na Europa, buscou nesta sexta-feira o apoio da Turquia para reduzir o fluxo de migrantes, enquanto novos naufrágios fizeram mais vítimas no Mar Egeu.

Ao menos 44 vítimas, incluindo vinte crianças, morreram em três naufrágios ao largo das ilhas Farmakonisi e Kalolimnos, enquanto outros migrantes seguem desaparecidos, de acordo com a polícia portuária grega.

Neste contexto, a chanceler alemã se reuniu em Berlim com o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, e seus principais ministros para consultas sem precedentes neste formato que, segundo ela, terão "um papel-chave" na resolução da crise migratória.

"O governo turco fará todo o possível para reduzir o número de refugiados" que entram na UE, garantiram os dois países em um comunicado conjunto ao final da reunião.

"O primeiro-ministro ressaltou o compromisso do governo da Turquia de realizar todos os esforços para reduzir substancialmente o número de migrantes em situação irregular num futuro próximo", afirma o comunicado.

Em troca, a Turquia pode contar com o apoio da Alemanha para tentar facilitar a entrada no espaço Schengen dos turcos que desejam visitar a região.

"A chanceler e o primeiro-ministro ressaltaram o compromisso de avançar significativamente nas negociações entre a Turquia e a União Europeia, com o objetivo de levantar a exigência de visto para os cidadãos turcos no espaço Schengen até outubro de 2016", aponta o comunicado.

A Turquia, por onde passam o maior número de requerentes de asilo na Europa, desempenha um papel central na estratégia da chanceler para cumprir o seu objetivo de reduzir este ano o número de requerentes de asilo que chegam na Alemanha, depois de um recorde de um milhão em 2015.

Merkel ainda se recusa a fechar as fronteiras alemães aos refugiados ou colocar um limite a sua entrada, e defende uma solução internacional baseada em um melhor controle dos fluxos provenientes da Turquia, além de uma divisão de migrantes por quotas europeias.

Uma conferência de doadores sobre a Síria será realizada em 4 de fevereiro em Londres e, finalmente, uma cúpula da UE dedicada ao mesmo problema está marcada para meados de fevereiro.

A chanceler discutiu na quinta-feira sobre a conferência de Londres com Barack Obama, durante uma conversa telefônica. De acordo com o porta-voz de Angela Merkel, o presidente americano prometeu que seu governo "participaria substancialmente".

dsa-elr/alf/pt/mr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos