Produtos tóxicos persistem na fabricação de artigos esportivos, diz Greenpeace

Berlim, 25 Jan 2016 (AFP) - As roupas e equipamentos esportivos e para atividades ao ar livre ainda contêm muitos produtos químicos nocivos, criticou nesta segunda-feira a organização ambientalista Greenpeace, após testes realizados com 40 produtos destes setores, dos quais apenas quatro não continham substâncias perigosas para a saúde.

O Greenpeace, que fez da luta contra os produtos químicos perigosos nas roupas um de seus cavalos de batalha há vários anos, realizou no mês passado a análise de 40 produtos de diferentes marcas provenientes de 19 países.

Com exceção de duas jaquetas - uma da marca Vaude e outra da marca Jack Wolfskin - uma mochila da marca Haglöfs e um par de luvas da North Face, todos contêm componentes perfluorados (PFC), segundo um comunicado do braço alemão do Greenpeace.

Embora alguns destes fabricantes tenham começado a reduzir o uso desses produtos, "eles ainda são muito frequentes", lamenta a ONG, sobretudo "na fabricação de sapatos e calças, sacos de dormir e algumas jaquetas".

Os compostos perfluorados são polímeros químicos muito utilizados por sua resistência ao calor, impermeabilidade e capacidade para repelir a poeira.

Muito persistente no meio ambiente, estão presentes em muitos objetos usados na vida cotidiana, seja em panelas antiaderentes, produtos tira-manchas ou embalagens de alimentos.

Extremamente resistentes, estão espalhados no meio ambiente, e vestígios de PFCs foram encontrados no fígado do urso polar, revelou o Greenpeace. Eles também são prejudiciais para a saúde humana.

O Greenpeace pede a proibição "na fabricação de todos os produtos 'outdoor' dos PFCs".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos