Busca em hospital militar de San Diego termina sem evidência de tiros

Los Angeles, 26 Jan 2016 (AFP) - A presença de um "atirador ativo" foi reportada no hospital militar de San Diego (Califórnia, oeste) nesta terça-feira, mas uma revista inicial do prédio terminou sem que fossem encontradas evidências de um ataque a tiros.

Jon Nylander, porta-voz da Marinha, disse à AFP que uma testemunha reportou ter ouvido tiros no subsolo do edifício por volta das 08H00 locais (13h00 de Brasília).

A polícia local, auxiliada por cães da Marinha e oficiais da California Highway Patrol, revistaram o prédio, mas não encontraram sinais de disparos ou de feridos.

"Fizeram uma busca inicial e não encontraram nada, de forma que estão fazendo uma revista mais aprofundada", disse Nylander.

"Não encontraram evidências de que tenha havido um ataque a tiros", acrescentou.

As autoridades se dirigiram ao hospital depois de ter sido reportado um ataque a tiros. A entidade postou uma mensagem no Facebook alertando para um possível tiroteio.

"Um atirador ativo foi reportado no prédio número 26 do Centro Médico Naval em San Diego. Todos os ocupantes foram aconselhados a fugir, se esconder ou lutar", postou o centro médicos.

A vizinha base naval de San Diego também publicou informações na internet sobre possíveis disparos.

"Se estiver em risco imediato, esconda-se e procure abrigo em local seguro", recomendou a página da base no Facebook.

"Bloqueie a porta e ligue para 911 [nr: telefone dos serviços de emergência nos EUA]. Silencie aparelhos de telefone e outros dispositivos", prosseguiu.

Os primeiros informes mencionavam testemunhas que ouviram três tiros no edifício de número 26, onde há um ginásio e algumas tendas.

O hospital foi fechado e os serviços de emergência estavam no local, juntamente com cães treinados.

San Diego, a cidade mais ao sul da costa da Califórnia, abriga várias instalações militares, entre elas um porto importante para a Marinha americana.

O hospital fica em Balboa Park, perto do famoso zoológico da cidade.

As instalações militares americanas têm sofrido com diversas ocorrências de disparos nos últimos anos. Em novembro de 2009, treze pessoas morreram e 42 ficaram feridas em Fort Hood, no Texas, e em setembro de 2013, doze pessoas morreram e oito ficaram feridas na Washington Navy Yard.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos