ONU começa a convocar participantes de mesa de diálogo sobre Síria

Beirute, 26 Jan 2016 (AFP) - Os convites para as conversas de paz na Síria, que começam em 29 de janeiro em Genebra, foram enviados nesta terça-feira aos representantes de uma instância-chave da oposição ao regime, mas também a personalidades que não fazem parte dela.

"Os convites foram enviados nesta terça", declarou em Genebra a porta-voz de Staffan de Mistura, enviado da ONU para a Síria.

A porta-voz não divulgou o número, nem as identidades das pessoas que vão representar o regime de Bashar al-Assad e a oposição síria. Opositores confirmaram à AFP que foram convidados.

Na segunda-feira, De Mistura havia declarado que a data de início da mesa de diálogo, prevista para acontecer ontem mesmo, foi adiada para o dia 29 por causa de um "bloqueio" sobre a composição das delegações.

Entre as pessoas convidadas, estão membros do Alto Comitê de Negociações (HCN), uma instância criada em dezembro, em Riad, pela oposição síria, e outros que não o integram. Recentemente, o HCN afirmou que queria ser a única delegação representante da oposição síria em Genebra.

Um membro da delegação do HCN, Fuad Aliko, disse à AFP que esta instância foi convidada, e que as discussões desta terça se referem, justamente, à sua eventual participação, se essas negociações continuarem.

Além dos membros do HCN, Qadri Jamil, um ex-vice-primeiro-ministro sírio destituído em 2013, que mantém boas relações com a Rússia, aliada do governo de Damasco, confirmou ter sido convidado.

Haytham Manna, uma figura da oposição, também copresidente do Conselho Democrático Sírio (CDS, uma aliança de opositores curdos e árabes), também disse à AFP que foi convidado "como negociador".

O CDS é o braço político das Forças Democráticas Sírias (FDS), uma aliança apoiada pelos Estados Unidos e integrada, principalmente, pelas YPG (Unidades de Proteção do Povo), milícia curda que controla importantes territórios na Síria.

A participação dos curdos é um dos pontos de discórdia entre os diferentes grupos opositores sírios e outros países envolvidos no conflito. Os curdos são apoiados por Moscou, mas Ancara se opõe com firmeza à sua presença nas negociações de Genebra.

Hoje, a Turquia advertiu que não fará parte das conversas de paz, se os curdos sírios do Partido da União Democrática (PYD, braço político das YPG) participarem.

Um conselheiro da direção do PYD, Sihanuk Dibo, disse hoje à AFP que seu grupo não recebeu "até agora" qualquer convite da ONU para as negociações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos