COI mobilizado contra o vírus Zika em vista das Olimpíadas 2016

Atenas, 28 Jan 2016 (AFP) - O Comitê Olímpico Internacional fará tudo para garantir a saúde dos participantes nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro frente ao vírus Zika, que atinge principalmente o Brasil, declarou seu presidente Thomas Bach.

Em visita a Atenas, Bach minimizou os riscos apresentados por este epidemia durante as Olimpíadas, ressaltando que a competição vai acontecer em agosto, "durante o inverno brasileiro e em condições climáticas diferentes" das atuais.

O COI "irá a partir de hoje ou amanhã alertar os comitês nacionais sobre a maneira de enfrentar este problema e informar os atletas", acrescentou Bach, que visita a Grécia para testemunhar sua solidariedade com os refugiados.

Ele lembrou que a presidente Dilma Rousseff lançou um apelo para que os países das Américas e do Caribe adotem uma estratégia regional para combater o vírus e anunciou uma reunião de ministros da Saúde do Mercosul na próxima terça-feira no Uruguai.

O vírus Zika - transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, que também é o vetor da dengue e do chikungunya - provoca sintomas gripais benignos. Não há tratamento preventivo, nem vacina.

Nas mulheres grávidas, o vírus pode ser transmitido ao feto e causar malformações congênitas, como microcefalia.

O Brasil é o país mais afetado, com 3.893 casos de microcefalia (dos quais 49 mortes), contra 147 em 2014.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Zika, já presente em 21 dos 55 países do continente americano, vai continuar a se propagar, o que representa "uma séria preocupação".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos