Tunísia planeja proibir sacolas plásticas

Tunes, 28 Jan 2016 (AFP) - A Tunísia quer proibir as sacolas plásticas para proteger a "diversidade biológica" do país e acabar com a "poluição visual" causada pelos sacos - declarou à AFP nesta quinta-feira uma fonte do ministério do Meio Ambiente.

O ministério "preparou um decreto regulamentar sobre a proibição de exportar, distribuir e fabricar as sacolas de plástico não-biodegradáveis (...), que vai ser apresentado ao governo, depois ao Parlamento", declarou à AFP o diretor da divisão de qualidade de vida no ministério, Hédi Chbili.

Segundo Chbili a proibição, que começará a ser implementada em março, será "progressiva". A medida diz respeito inicialmente às sacolas plásticas distribuídas gratuitamente nos supermercados.

"Na Tunísia, um bilhão de sacolas plásticas são usadas anualmente", afirmou.

Diversos países no mundo tentam atualmente limitar o uso das sacolas plásticas. Na França, por exemplo, os sacos de plástico de uso único foram proibidos em março.

No Reino Unido, a legislação impõe que os usuários paguem pelas sacolas, a fim de tentar reduzir o uso.

A prefeitura de Montréal, que abriga metade da população de Québec, decidiu proibir o uso de sacolas plásticas não-biodegradáveis a partir de 2018.

O uso maciço de plásticos é tamanho que os oceanos abrigarão mais detritos plásticos que peixes em 2050, segundo alerta lançado recentemente no Fórum Econômico Mundial, em Davos.

ms-iba/kl/iw/mm

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos