Policial que matou rapaz negro em 2014 é considerado culpado nos EUA

Da AFP, em Nova York

Um júri popular considerou culpado de homicídio culposo, nesta quinta-feira (11), o oficial da Polícia de Nova York Peter Liang, de 28 anos, pela morte de um jovem negro em 2014, declarou a Procuradoria local nesta quinta-feira (11).

Liang foi considerado culpado de "homicídio culposo em segundo grau" e de "erro profissional" por ter matado um "homem inocente e desarmado", segundo o júri, após duas semanas de audiências nos tribunais do Brooklyn (sudeste).

O policial pode ser condenado a até 15 anos de prisão por ter atirado, sem razão aparente, em Akai Gurley. A vítima, um pai de família de 28 anos, foi morta na escada de um prédio residencial em novembro de 2014. A sentença será anunciada em 14 de abril.

No processo, Peter Liang relatou que estava descendo do telhado de um prédio, após inspecioná-lo, e que atirou por acidente sem saber que havia uma pessoa na escada.

É extremamente raro nos Estados Unidos que um policial na ativa seja julgado por ter matado alguém.

A morte de Akai Gurley se somou a de vários outros cidadãos afro-americanos desarmados que foram abatidos pela Polícia no país, reavivando as tensões raciais e provocando uma série de protestos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos