Bashar al Assad considera 'difícil' cessar-fogo proposto para a Síria

Damasco, 15 Fev 2016 (AFP) - O presidente sírio, Bashar al Assad, considerou nesta segunda-feira "difícil" a implementação do cessar-fogo proposto pelas grandes potências, que deveria entrar em vigor ao final desta semana.

"Dizem que querem um cessar-fogo daqui a uma semana. Há alguém que seja capaz de cumprir todas as condições em uma semana? Ninguém", afirmou Al Assad, em declarações à agência oficial Sana. O presidente sírio considera que na prática implementar a trégua é "difícil".

"Quem vai falar com os terroristas? E se um grupo terrorista rejeitar o cessar-fogo, a quem deve prestar contas?", disse, em declarações difundidas pela agência oficial Sana.

O plano internacional tem como objetivo impulsionar os diálogos de paz, iniciados no fim de janeiro, mas se romperam, em parte pelo governo sírio, para recuperar a província de Aleppo, no norte do país.

Para Assad, o problema da trégua é que nem todos os atores do conflito vão abraçá-lo.

"Um cessar-fogo tem que implicar em que todos os terroristas deixem de fortalecer suas posições. Deve-se proibir o deslocamento de armas, de equipamento, de terroristas", afirmou.

Cinco anos depois do início da guerra na Síria, que deixou mais de 260 mil mortos, a situação humanitária é catastrófica no país.

Agravou-se após a ofensiva do regime, com o êxodo de milhares de pessoas que se amontoam ante a ainda fechada fronteira turca para o norte do país.

h/iw/an/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos