Dirigentes de distribuidoras de alimentos são detidos na Venezuela

Caracas, 16 Fev 2016 (AFP) - As autoridades venezuelanas prenderam 49 pessoas, em sua maioria dirigentes de centros de distribuição de alimentos, sob acusações de corrupção, em meio à escassez que assola o país, informou nesta segunda-feira o ministro do Interior, Gustavo González.

As detenções aconteceram em várias regiões do país onde funciona a rede de abastecimento Bicentenario, cuja ex-administradora, Bárbara González, também foi presa no final de janeiro, por supostamente desviar produtos para revendê-los.

"Continuaremos atacando essas redes de corrupção que tentam desestabilizar a paz do país. O governo garantirá a soberania alimentária. Quem prejudicar a justa distribuição de alimentos e produtos de primeira necessidade será detido e processado", avisou o ministro.

Vários dirigentes foram presos nos seus locais de trabalho, na presença de dezenas de pessoas que aplaudiam a operação, de acordo com um vídeo divulgado por González.

No fim de janeiro, também foram detidos o ex-presidente da Corporação Venezuelana de Aimentos (CVAL), Heber Aguilar, a administradora da instituição, Bárbara Figueroa, e outros três funcionários acusado de corrupção.

Criada em 2010, a CVAL administra várias fábricas agro-industriais e outras unidades de produção estatais.

O governo deu a este organismo a missão de aumentar a produção de alimentos diante da escassez agravada pela queda do preço do petróleo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos