Filho de presidente turco é investigado por lavagem de dinheiro

Roma, 18 Fev 2016 (AFP) - A procuradoria italiana abriu uma investigação contra o filho do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, por lavagem de dinheiro e suspeita de contrabando de grandes quantidades de dinheiro, anunciaram nesta quinta-feira à AFP fontes judiciais.

A investigação contra Bilal Erdogan, o filho mais velho do presidente conservador-islâmico, foi aberta pela procuradoria de Bolonha (norte), após uma denúncia apresentada pelo empresário turco Murat Hakan Uzan, um opositor no exílio.

Segundo o empresário, Bilal se refugiou na Itália "com uma grande soma de dinheiro" e acompanhado por um grupo de guarda-costas armados com passaportes diplomáticos.

O autor da denúncia afirma que até 1 bilhão de euros desapareceu pela corrupção nos mais altos níveis do governo turco.

Bilal, que chegou em Bolonha há seis meses, está supostamente envolvido em um escândalo de corrupção que eclodiu em dezembro de 2013. De acordo com a conta do Twitter de Fuat Avni, Bilal foi para a Itália em 27 de setembro com grandes somas de dinheiro para gerir as finanças da família.

Bilal Erdogan deixou a Turquia após as eleições de junho em que o AKP, partido da Justiça e do Desenvolvimento de seu pai, perdeu a maioria absoluta que gozava desde 2002.

Erdogan está na Itália oficialmente para concluir um doutorado na mesma universidade onde começou seus estudos em 2007 e nega ter fugido do seu país.

bur-kv/jz/mr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos