Número de mortos por ciclone em Fiji sobe para 42

Em Suva (Fiji)

  • Brett Phibbs/New Zealand Herald via AP

    Postes de iluminação permanecem tombados dias depois da passagem de ciclone

    Postes de iluminação permanecem tombados dias depois da passagem de ciclone

O número de mortos deixado pelo superciclone que castigou as ilhas Fiji chegou a 42 nesta quarta-feira (24), de acordo com as autoridades locais.

O porta-voz do governo, Dan Gavidi, tuitou que "42 fijianos agora confirmados mortos - oficiais de emergência continuam a enviar equipes para ajudar aqueles afetados por Fiji".

Este balanço pode aumentar, conforme as equipes de resgate forem se aproximando das comunidades mais remotas.

"Os números vão continuar a mudar, à medida que temos melhor acesso às informações e estabelecemos comunicação", anunciou o chefe do escritório da Cruz Vermelha no Pacífico, Ahmad Sami.

Hoje, o primeiro-ministro Voreqe Bainimarama reconheceu o problema e pediu paciência às comunidades afetadas.

"Nós entendemos a posição desesperadora em que vocês estão, o quão traumático isto é para vocês e para suas famílias... mas, como primeiro-ministro, eu quero que vocês saibam que não descansaremos enquanto não alcançarmos vocês", prometeu.

O ex-primeiro-ministro Laisenia Qarase declarou que temia por sua ilha natal, Vania Balavu, que ainda não havia sido mencionada. Baseado em Suva, Qarase declarou que fotografias aéreas mostravam "que havia provavelmente milhares de casas destruídas" na ilha.

"Eu tenho 75 anos e a destruição que eu vi, a extensão da destruição, é a pior coisa da memória viva de Fiji", declarou à "Rádio New Zealand".

No domingo, o ciclone tropical Winston atingiu as ilhas com ventos de até 325 km/h, de acordo com o Centro Conjunto de Advertência de Tufões da Marinha e da Força Aérea dos Estados Unidos, deixando um rastro de mortes e destruição.

Nunca antes um ciclone de categoria 5 havia castigado o arquipélago, onde vivem 900 mil pessoas. O estado de catástrofe natural foi decretado durante um mês.

Muitos habitantes passaram a noite em abrigos, onde receberam água e comida. As árvores arrancadas pelos fortes ventos bloquearam estradas e provocaram cortes de energia elétrica em Viti Levu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos