Chanceler de Kosovo é eleito presidente sob protestos

Pristina, 26 Fev 2016 (AFP) - O ex-premiê e ministro kosovar das Relações Exteriores, Hashim Thaçi, de 47, foi eleito presidente do território pelo Parlamento, nesta sexta-feira, prometendo construir um país mais europeu e aprofundar os laços com os Estados Unidos.

"Estarei a serviço de todos os cidadãos, independentemente de seu pertencimento étnico. Eu me comprometo a construir um novo Kosovo, um Kosovo europeu e aprofundar nossa relação com os Estados Unidos", declarou este ex-chefe de guerrilha convertido à política, depois do anúncio de sua eleição por um período de cinco anos.

Ao final de uma terceira votação, a qual a oposição tentou impedir jogando bombas de gás lacrimogêneo, Thaçi obteve 71 votos em uma assembleia integrada por 120 membros.

Desde outubro, deputados da oposição recorrem a este método para forçar a renúncia do governo e a realização de eleições antecipadas, paralisando o trabalho da Assembleia.

A votação foi retomada depois da interrupção da sessão, quando alguns desses congressistas foram retirados à força.

Após o fracasso de suas tentativas de eleição com maioria de dois terços, a candidatura de Thaçi foi finalmente aprovada por maioria simples.

Ao mesmo tempo, pelo menos mil militantes da oposição protestavam diante do Parlamento em Pristina, onde estão acampados desde quarta-feira.

"Fora!", "Fora, Hashim!", gritavam, antes do início da votação.

"Vamos continuar nossas manifestações até a convocação de novas eleições", declarou à multidão Albin Kurti, proeminente figura da oposição, na saída do Parlamento.

Seu apelo foi seguido por confrontos entre policiais e um grupo de cerca de 100 manifestantes violentos, que lançaram coquetéis molotov contra a Casa. A Polícia dispersou a multidão com bombas de efeito moral.

Pelo menos 21 policiais ficaram feridos, e cinco manifestantes foram presos, anunciou a Polícia agora à noite. Três deputados da oposição que jogaram gás dentro do plenário também foram detidos.

Há quase duas décadas na cena política local, Hashim Thaçi dirigiu o governo entre 2008 e 2014 e conduziu Kosovo à sua independência da Sérvia em fevereiro de 2008, tempos depois de ser comandante da guerrilha separatista albanesa kosovar, a UCK. A guerrilha combateu as tropas sérvias durante o conflito de 1998-99.

Sua reputação foi abalada pela publicação, em 2010, de um relatório do Conselho Europeu por suspeita de envolvimento com tráfico de órgãos de prisioneiros - basicamente sérvios - durante e após o conflito. Ele negou a acusação.

Desde outubro passado, Kosovo se encontra mergulhado em uma crise política, tendo como pano de fundo a insatisfação generalizada com uma situação econômica ruim e com o desemprego - cerca de 40% da população ativa deste país de 1,8 milhão de habitantes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos