Honduras registra segunda morte por dengue

Tegucigalpa, 29 Fev 2016 (AFP) - As autoridades sanitárias de Honduras confirmaram nesta segunda-feira a segunda morte por dengue do ano, apesar da massiva campanha contra o mosquito que causa também a febre chikungunya e a zika, suspeito de provocar 50 doentes da síndrome neurológica de Guillain-Barré no país.

O vice-ministro de Saúde, Francis Contreras, disse à imprensa que "foram confirmados os dois suspeitos" que morreram por dengue este ano e "isso nos manda continuar com as medidas de prevenção e não baixar a guarda" no combate ao vetor, apontou.

Além disso, "temos 50 pessoas suspeitas de Guillain-Barré", que pode estar associado à zika, acrescentou o funcionário.

Em 2 de fevereiro, quando 3.600 casos de zika foram registrados, o governo hondurenho decretou estado de emergência contra a doença causada pelo mosquito Aedes aegypti - que também é vetor da dengue e da chikungunya.

Com a declaração de emergência, o governo implantou equipes do ministério da Saúde, militares e policiais, para que, em conjunto com os vizinhos, destruam os locais de reprodução do vetor.

No entanto, a propagação da doença continuou a progredir a ponto de serem registrados cerca de 10.000 casos de zika, 4.000 de dengue e 4.0000 de chikungunya.

Em 2015, a dengue deixou cinco pessoas mortas entre mais de 40.000 doentes, enquanto a chikungunya causou duas mortes num total de 3.000 pacientes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos