Ex-presidente do IPCC é acusado de assédio sexual

Nova Délhi, 1 Mar 2016 (AFP) - A polícia indiana acusou nesta terça-feira o ex-presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), Rajendra Pachauri, acusado de assédio sexual por um ade suas colegas e agora terá de comparecer perante um tribunal em Nova Délhi.

"Completamos a ata de acusação e o tribunal irá decidir quando será o início da audiência", disse à AFP Virender Dalal, investigador.

A acusação ocorre um ano depois que uma de suas colegas de trabalho o acusou de enviar mensagens de texto e e-mails inapropriados.

As acusações contra Pachauri incluem violência sexual, assédio criminoso e intimidação, de acordo com o advogado da mulher, Prashant Mendiratta.

"Vamos precisar de tempo para examinar as atas de imputação [de mais de 1.400 páginas], mas em princípio afirma que há provas", disse o advogado à AFP.

Pachauri, de 75 anos, está em liberdade sob fiança e nega as acusações, garantindo que seu e-mail e telefone foram hackeados. O caso o obrigou a renunciar ao cargo de presidente do IPCC, um organismo independente da ONU, em fevereiro do ano passado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos