Tesoureiro do Vaticano surpreende com declarações sobre padre pedófilo

Sydney, 1 Mar 2016 (AFP) - O cardeal australiano George Pell, poderoso "ministro" da Economia do Vaticano, assegurou nesta terça-feira que conta com o apoio total do papa Francisco, apesar de ter confessado ante uma comissão de investigação que as acusações de pedofilia contra um padre não despertaram seu interesse na ocasião.

O ex-chefe da Igreja católica na Austrália, tesoureiro do Vaticano desde 2014, prestou depoimento ante uma comissão de investigação sobre delitos de pedofilia na Austrália através de videoconferência devido a problemas de saúde.

Ele reconheceu que a Igreja "fez besteira" em sua gestão dos padres pedófilos, mas acrescentou que, nesta questão, "conto com o apoio total do papa".

A comissão em questão examinava o caso de Gerald Ridsdale, sacerdote australiano e pedófilo reincidente, condenado por agredir várias crianças entre 1960 e 1980.

O cardeal Pell, que morou um tempo na mesma casa de Ridsdale, negou a todo momento que conhecesse as tendências do colega.

"Eu não sabia se era ou não notório. É uma história triste, que não tinha grande interesse para mim", declarou, provocando reações de surpresa nos membros da comissão, que pediu que ele se explicasse.

"O sofrimento, claro, era real e lamento muito, mas não tinha razão alguma de me interessar pelo alcance do mal cometido por Ridsdale", afirmou.

A Comissão Real para uma Resposta Institucional ao Abuso Sexual de Menores começou seus trabalhos em 2013, depois de de anos de pressão a favor de investigações sobre as acusações de pedofilia nas escolas, centros religiosos e organismos sociais.

mp/bp/ev/jr/jmr./cn/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos