Líder republicano Romney diz que Trump é inadequado para presidência

Washington, 3 Mar 2016 (AFP) - O candidato republicano à Casa Branca em 2012 Mitt Romney declarou nesta quinta-feira que o pré-candidato Donald Trump não é um nome adequado para a Casa Branca, em um ataque pessoal que expõe o incômodo provocado pela preferência do magnata na intenção de votos.

Falando em um discurso no Instituto Hinckley de Política da Universidade de Utah, Romney afirmou que "Donald Trump é uma fraude" e "não tem temperamento, nem bom senso para ser presidente".

"Donald Trump é um falso, uma fraude. Suas promessas são tão vazias quanto um diploma da Universidade Trump. E está pensando que o público americano é imbecil", afirmou Romney, em um enérgico apelo para que os eleitores conservadores se afastem do polêmico magnata.

O enfático discurso de Romney, uma figura ainda influente entre os conservadores americanos, é o mais claro reflexo do caos e da divisão que a candidatura de Trump gerou dentro do Partido Republicano, fundado em 1854.

"Pensem nas qualidades pessoais de Trump, a intimidação, a ambição, a petulância, a misoginia e os absurdos gestos teatrais de escola secundária", disparou Romney, que perguntou aos eleitores que considerem como se sentiriam "se seus netos se comportassem como ele".

Romney, que foi derrotado por Barack Obama nas eleições de 2012, pediu aos eleitores do Partido Republicano que se concentrem nos outros candidatos conservadores em campanha, os senadores Ted Cruz e Marco Rubio ou no governador de Ohio, John Kasich.

Em seu discurso, Romney questionou a integridade moral de Trump ao afirmar que o multimilionário representa "o mesmo tipo de ódio que levou outras nações ao abismo".

Além disso, destacou que as políticas domésticas de Trump conduzirão o país recessão.

"Sua política externa converterá os Estados Unidos e o mundo em lugares menos seguros. Ele não tem temperamento nem bom senso para ser presidente".

Segundo Romney, os conservadores americanos devem levar em conta que uma indicação formal de Trump para ser o candidato republicano nas eleições de novembro levará o partido a uma derrota.

"Cada pesquisa reflete o que Trump pensa dele mesmo. Mas as pesquisas também estão dizendo que vamos perder para Hillary Clinton", alertou.

Nas 15 eleições prévias que o Partido Republicano realizou este ano, Trump venceu dez, e já tem quase a metade de delegados necessários para garantir sua indicação por esse partido na convenção nacional prevista para julho.

O anúncio na véspera de que Mitt Romney faria um discurso sobre a corrida presidencial, no momento em que o Partido Republicano luta para conter Donald Trump, chegou a levantar vários rumores sobre uma possível candidatura de última hora.

O ex-governador de Massachusetts emergiu recentemente como um proeminente crítico do polêmico magnata. Sua possível vitória acendeu o sinal de alerta máximo no 'establishment' republicano, que vê em Trump um frágil oponente diante da democrata Hillary Clinton.

Até agora, os principais oponentes do bilionário que lidera as pesquisas e venceu as prévias em sete de 11 estados na "Super Terça", os senadores Ted Cruz e Marco Rubio, não conseguiram superá-lo.

Na semana passada, em entrevista à Fox News, Mitt Romney reconheceu "a raiva e a frustração que o povo e o país sentem sobre a falta de progresso" em Washington.

"Eles sentem que Washington foi incapaz de fazer seu trabalho", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos