Progressos 'visíveis' na Síria com diminuição de civis mortos

Beirute, 3 Mar 2016 (AFP) - O enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, afirmou nesta quinta-feira, em Genebra, que a trégua em vigor desde sábado no país apresenta progressos visíveis, que se traduzem em uma forte diminuição do número de civis mortos.

A guerra, que já causou mais de 270.000 mortos, provocou estragos nas infraestruturas do país, e nesta quinta-feira uma pane geral na distribuição de eletricidade afetou todas as províncias.

"A situação no terreno pode ser resumida como frágil. O êxito da trégua não está garantido, mas os progressos são visíveis. Perguntem aos sírios", declarou De Mistura ao término de um encontro do grupo de trabalho sobre ajuda humanitária.

"Foi reduzido de forma considerável o nível de violência no país. De forma geral, a suspensão (das hostilidades) é respeitada", disse.

"Infelizmente, como em todo cessar de hostilidades ou cessar-fogo, e em particular neste caso, ainda são registrados combates em vários lugares, como nas zonas de Hama, Homs, Latakia e Damasco", acrescentou.

De Mistura também anunciou que o grupo de trabalho sobre o cessar-fogo na Síria se reunirá novamente nesta quinta-feira à tarde.

Para ele, "a ajuda humanitárias e o fim das hostilidades são de extrema importância, mas não são condições prévias ao processo político", que deve ser retomado em 9 de março, em Genebra.

Por sua vez, França e Grã-Bretanha defenderam a necessidade de mais esforços para manter a trégua e pediram à Rússia para que pare de atacar os rebeldes moderados na Síria.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, o presidente francês, François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, discutirão o cessar-fogo na Síria com o presidente russo Vladimir Putin em videoconferência na sexa-feira, informou a Downing Street.

"Amanhã será a ocasião para os dirigentes do Reino Unido, França e Alemanha de constituir uma frente única que dizer claramente ao presidente Putin que necessitamos da manutenção do cessar-fogo e abrir caminho para uma verdadeira transição política", declarou um porta-voz governamental.

Em um comunicado, o ministério russo da Defesa assegurou nesta quinta que foram registrados 33 violações ao cessar-fogo nas últimas 24 horas.

Riad Hijab, um funcionário do órgão que reúne os principais grupos políticos e armados da oposição síria, informou, por sua vez, que o regime e seus aliados cometeram centenas de violações da trégua, desde o início do cessar-fogo.

De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), com sede na Grã-Bretanha, o número de civis mortos na Síria diminuiu consideravelmente desde o início da trégua.

Em cinco dias, 73 civis foram mortos em atos violentos na Síria, 24 deles em áreas cobertas pelo cessar-fogo. A média de 15 civis por dia é bem abaixo dos 38 civis mortos por dia em fevereiro, de acordo com OSDH.

Na véspera da entrada em vigor da trégua, 63 civis foram mortos.

Segundo a organização, 42 combatentes rebeldes foram mortos.

Consequência da destruição da infraestrutura do país desde o início da guerra, em 2011, a Síria foi completamente privada de energia elétrica por mais de três horas nesta quarta a partir das 11H00 GMT (8h00 de Brasília), em razão de uma avaria geral, segundo a televisão estatal.

Em fevereiro, o ministro da Eletricidade Imad Khamis disse que os danos diretos sofridos devido à guerra no campo de energia elétrica totalizavam 3,75 bilhões de dólares e que 5 das 13 grandes usinas no país estavam sob ataque.

ASK

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos