EUA condenam ataques na Tunísia

Washington, 8 Mar 2016 (AFP) - Os Estados Unidos condenaram "energicamente" nesta segunda-feira os ataques "terroristas" na Tunísia, nos quais morreram pelo menos 36 jihadistas, 11 membros das forças de segurança e sete civis e ofereceu sua ajuda a este país que considera o único feito democrático da Primavera Árabe.

O porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby, saudou "a resposta rápida e corajosa das forças de segurança tunisiana" diante de ataques simultâneos atribuídos ao grupo Estado Islâmico em Ben Guerdane, uma localidade de 60.000 habitantes situada a poucos quilômetros de Líbia.

Os ataques, registrados ao amanhecer, tiveram como alvo um quartel do exército, uma delegacia de polícia e um posto da guarda nacional.

Kirby reafirmou "o compromisso dos Estados Unidos pela segurança na Tunísia e a cooperação" estratégica entre os dois países. "Depois do ataque covarde de hoje, renovamos nossa oferta de ajuda ao governo tunisiano", acrescentou o porta-voz.

O secretário de Estado americano, John Kerry, viajou para a Tunísia em 13 de novembro para reafirmar o apoio dos Estados Unidos à jovem democracia tunisiana, considerada pelo país um "farol de esperança" para a Primavera Árabe.

A Tunísia é um "aliado principal não membro da Otan" dos Estados Unidos, desde maio de 2015, um estatuto que permite uma cooperação reforçada entre os dois países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos