Em 2015, 1.338 rinocerontes foram caçados ilegalmente na África

Genebra, 10 Mar 2016 (AFP) - Pelo menos 1.338 rinocerontes foram caçados de maneira predatória na África em 2015, um recorde desde que o comércio de chifres foi proibido na África do Sul, em 2008 - anunciou nesta quarta-feira a ONG UICN.

Em 2015, "o número de rinocerontes da África mortos por caçadores aumentou pelo sexto ano consecutivo, com pelo menos 1.338 exemplares mortos", disse a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), em comunicado.

"É o nível mais elevado desde o início da atual crise, em 2008", disse a organização com sede em Gland, Suíça.

O tráfico de chifres de rinoceronte é proibido internacionalmente desde 1977 pela Convenção sobre o Comércio de Espécies Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES) embora, por exemplo, as vendas permaneceram legais na África do Sul até 2008, quando de repente a caça furtiva disparou no país.

África do Sul é o lar de 80% da população de rinocerontes do mundo.

Esta espécie está ameaçada pela caça furtiva, impulsionada pela forte demanda por chifre na Ásia, onde são considerados detentores de propriedades medicinais.

Apesar do chifre de rinoceronte ser composto inteiramente de queratina, como as unhas dos seres humanos e outras espécies, o preço no mercado negro atinge até 60.000 dólares por quilograma. Mais do que a cocaína.

De acordo com especialistas, que ainda não têm estatísticas precisas, o continente africano contava em 2015 com entre 19.682 e 21.077 rinocerontes brancos, e entre 5.042 e 5.455 pretos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos