Paris quer que UE sancione políticos líbios (ministro)

Paris, 10 Mar 2016 (AFP) - A França proporá na próxima segunda-feira à União Europeia (UE) decretar sanções contra as autoridades políticas que bloqueiam a formação de um governo de unidade na Líbia, declarou nesta quinta-feira seu ministro das Relações Exteriores, Jean-Marc Ayrault.

"Não excluo que se possa ameaçar com sanções (econômicas e outras). Em todo caso, é o que proporei aos meus colegas das Relações Exteriores em Bruxelas na segunda-feira", declarou Ayrault diante de câmeras e microfones da emissora de TV noticiosa iTÉLÉ.

A Líbia é controlada por duas autoridades rivais, uma instalada em Tobruk e reconhecida pela comunidade internacional, e outra na capital, Trípoli, liderada pela coalizão de milícias Fajr Libya, algumas das quais são islamitas.

O caos reinante na Líbia desde a queda e morte, em 2011, do ditador Muammar Kadhafi, com o apoio militar de potências ocidentais como a própria França, Estados Unidos e a Grã-Bretanha, propiciou a ascensão no país do grupo jihadista Estado Islâmico (E)I, que controla, entre outros, a cidade de Sirte (berço de Kadhafi), 450 km a leste de Trípoli, e tenta dali estender sua influência.

A comunidade internacional insiste com força para que se alcance um governo de unidade nacional, em detrimento do EI.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos