As principais operações de repatriação de judeus a Israel

Jerusalém, 21 Mar 2016 (AFP) - Israel, que repatriou nos últimos dias 19 judeus no Iêmen, realizou no passado várias operações parecidas, algumas de grande envergadura:

- IÊMEN: Israel anunciou na segunda-feira o resgate de 19 judeus em uma "operação secreta", pondo fim a um longo processo iniciado em 1949 para salvar os últimos sobreviventes de uma das comunidades judaicas mais antigas do mundo. Esta comunidade está presente desde o primeiro milênio antes de Cristo e se divide entre Saada, Raida e Arhab (ao leste de Sanaa).

Apesar da operação, cinquenta judeus decidiram ficar no Iêmen, 40 instalados em Sanaa.

A maior repatriação ocorreu entre junho de 1949 e junho de 1950, após a criação do Estado de Israel em 1948. Cerca de 49.000 judeus foram evacuados durante a operação "Tapete Mágico", negociada com autoridades iemenitas. Restaram apenas 1.200 judeus, que foram resgatados pouco a pouco.

- SÍRIA: o Mossad, serviço de inteligência israelense, e os comandos da Marinha israelense organizaram no começo dos anos 1970 a operação chamada "Coberta" na Síria para ajudar dezenas de jovens sírios a chegar clandestinamente a Israel.

Em 1948, havia na Síria trinta mil judeus. Segundo relatório americano sobre a liberdade religiosa, restavam na Síria menos de 20 judeus em 2014.

Em novembro de 2015, veio à tona o polêmico caso de repatriação de duas mulheres judias sírias, organizado pelo empresário israelense-americano Moti Kahana.

- IRAQUE: em 1948 havia 134.000 judeus, muitos deles descendentes de deportados da Judeia em 586 a. C. por Nabucodonosor. Mas, reprimidos e acusados de ser agentes do recentemente criado Estado de Israel, 96% deles foram a Israel entre 1949 e 1951 (operação Esdras e Neemias). Hoje, a comunidade está desaparecendo.

- ETIÓPIA: mais de cem mil judeus da Etiópia emigraram para Israel desde os anos 1980 em várias operações de resgate, sendo a mais importante a operação "Salomão", em maio de 1991. Graças a uma gigantesca ponte aérea, foram transferidas vinte mil pessoas a Israel em 36 horas.

Outros dispositivos importantes foram "Moisés" (1984) e "Sheba" (ou "Josué") (1985, com a ajuda de seis Hércules dos Estados Unidos). Nos anos 2000, organizou-se a transferência uma transferência de trinta mil falashas, judeus da Etiópia convertidos à força ao cristianismo no século XIX.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos