Obama e Raúl Castro selam reconciliação com diplomacia do beisebol

Havana, 22 Mar 2016 (AFP) - Depois de fazer história, Barack Obama e Raúl Castro tiraram as gravatas e se sentaram juntos para assistir a um jogo de beisebol em Havana, um gesto diplomático que selou a histórica reconciliação entre Estados Unidos e Cuba.

Os presidentes, que sepultaram mais de meio século de divergências entre seus países durante a histórica visita de Obama à Ilha, assistiram ao início do jogo entre o Tampa Bay Rays das Grandes Ligas (MLB) e a equipe nacional de Cuba.

Obama entrou no Estádio Latino-Americano com óculos escuros e camisa curta, sendo aplaudido pelos 55.000 presentes ao jogo amistoso.

O presidente chegou acompanhado da esposa, Michelle, e suas filhas, Sasha e Malia. Pouco depois apareceu Raúl Castro com paletó sem gravada, e também foi ovacionado.

Um ao lado do outro, sentaram-se em uma tribuna reservada para marcar outro feito sem precedentes dos muitos que nutriram a visita de Obama à Ilha: a primeira partida de beisebol que os presidentes de Estados Unidos e de Cuba assistem juntos.

Raúl Castro e Obama saudaram Rachel Robinson, viúva de Jackie Robinson, o primeiro afro-americano a jogar nas Grandes Ligas, em 1947.

Interpretados por um enorme coro, os hinos de Cuba e dos Estados Unidos estremeceram o estádio lotado, onde tremulavam bandeiras dos dois países.

Em seguida, Raúl Castro e Obama fizeram um minuto de silêncio pelas vítimas dos atentados que deixaram mais de trinta mortos e duzentos feridos em Bruxelas.

O jogo contra o Tampa Bay foi o primeiro disputado pelo 'team' cubano com uma equipe da MLB desde 1999, quando os cubanos enfrentaram os Orioles de Baltimore, em um confronto de ida e volta que terminou com uma vitória de visitante para cada um.

Antes do início do jogo, que encerrou a visita com a qual Obama selou a aproximação iniciada entre Washington e Havana no final de 2014, os jogadores do Tampa Bay e da seleção local se aproximaram da tribuna para saudar os dois presidentes.

Também estiveram presentes ao jogo o secretário de Estado americano, John Kerry, o comissário das Grandes Ligas, Rob Manfred, e o presidente da Associação de Jogadores da MLB, Tony Clark.

Uma representação da guerrilha comunista das Farc, que desde 2012 negocia em Cuba um acordo de paz com o governo colombiano, somou-se ao espetáculo.

As primeiras bolas da partida foram de Luis Tiant, lançador cubano com mais vitórias na história da Major League (229) e o cubano Pedro Luis Lazo, que lidera esta estatística em campeonatos cubanos (257).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos