Trump acusa muçulmanos não fazerem o suficiente para evitar atentados

Londres, 23 Mar 2016 (AFP) - O bilionário Donald Trump, pré-candidato do Partido Republicano para a eleição presidencial americana, acusou os muçulmanos de não fazer o suficiente para evitar os atentados, em uma entrevista exibida nesta quarta-feira pelo canal britânico ITV.

"Eu diria isto aos muçulmanos, nos Estados Unidos inclusive, quando veem um problema, devem reportar. Eles não estão relatando, eles não estão absolutamente relatando e isto é um grande problema", afirmou o empresário, favorito para obter a candidatura, um dia depois dos atentados de Bruxelas que deixaram 31 mortos.

"É como se eles protegessem uns aos outros, mas eles estão realmente provocando danos", completou Trump, que lamentou o fato de ninguém ter denunciado os autores do atentado de San Bernardino, Califórnia, que matou 14 pessoas.

"Eles devem ser abrir à sociedade, eles devem denunciar os indivíduos maus", disse, antes de afirmar que tem "grande respeito pelos muçulmanos".

As declarações foram rebatidas pelo Conselho Britânico de Muçulmanos (MCB).

As frases "abastecem os que os terroristas desejam: que os muçulmanos se sintam marginalizados do Ocidente e não sejam vistos como cidadãos iguais", disse um diretor da organização, Miqdaad Versi.

Donald Trump "está errado", afirmou à BBC Neil Basu, um dos principais nomes da unidade antiterrorista da Scotland Yard.

"Se nós demonizarmos uma parte da população, isto é o pior que podemos fazer", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos