Itália autoriza extradição à Bélgica de argelino acusado de ajudar suicidas

Roma, 1 Abr 2016 (AFP) - A justiça italiana autorizou nesta sexta-feira a extradição à Bélgica de um argelino, detido no sábado, em Salerno (sul), por participar da falsificação de documentos utilizados por suicidas nos ataques de Paris e Bruxelas.

O argelino, Djamal Eddine Ouali, que deverá ser extraditado em um prazo de dez dias, apresentará um recurso ante a Corte de Cassação, indicou à imprensa seu advogado.

O pedido pode ser aceito, já que o argelino está sendo investigado na Itália por delitos penais.

Ouali, de 40 anos, foi detido graças a uma ordem de captura europeia emitida pela justiça da Bélgica.

"Foi aberta uma investigação e vários suspeitos foram colocados sob escuta e observação com o objetivo de localizar o ateliê para as falsificações", explicou no sábado em um comunicado o Ministério Público belga.

O argelino é acusado de formar parte de uma rede criminosa que fabricava documentos de identidade falsos e que favorecia a imigração clandestina.

Por enquanto não se sabem as razões pelas quais Ouali, detido na localidade de Bellizzi em uma operação conjunta do Serviço Central Antiterrorista e da Divisão de Operações Especiais da Polícia de Roma, estava na província de Salerno e se tinha contatos e apoios locais.

bur-kv/mb/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos