Parlamento venezuelano investigará chavistas envolvidos no 'Panama Papers'

Caracas, 5 Abr 2016 (AFP) - O Parlamento venezuelano investigará a origem do dinheiro encontrado em contas de pessoas ligadas ao chavismo em paraísos fiscais internacionais, como revela o "Panama Papers", informou nesta segunda-feira o deputado Freddy Guevara.

"Em um país com controle do câmbio há treze anos, como explicar que uma enfermeira e um ex-segurança presidencial tenham dinheiro em paraísos fiscais?! Não há como justificar estes recursos...". - disse Guevara, presidente da Comissão de Controladoria do Legislativo.

Guevara se referia ao capitão da reserva Adrián Velásquez, que foi segurança do presidente Hugo Chávez e que teria contas em paraísos fiscais como Ilhas Seychelles e Panamá.

Velásquez é casado com Claudia Díaz, que foi enfermeira de Chavez, chefe do Tesouro e presidiu um bilionário fundo de desenvolvimento (Fonden).

Um consórcio internacional de jornalistas investigativos começou a publicar no domingo os casos de personalidades mundiais que criaram empresas (offshore) através do escritório de advocacia Mossack Fonseca.

Para Guevara, a informação "permitirá encurtar o tempo das investigações, identificar testas de ferro, empresas fantasma e, especialmente, localizar o dinheiro de venezuelanos que os corruptos roubaram".

Os documentos também trazem informações sobre o general reformado Víctor Cruz Weffer, primeiro caso emblemático de corrupção durante o governo Chávez, acusado de desviar aproximadamente um milhão de dólares de programas sociais.

Outro nome que aparece no expediente é o de Jesús Villanueva, auditor da estatal petroleira PDVSA, que teria milhões de dólares no Panamá.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos