Idosos sul-coreanos receberam remédios contra impotência em troca de votos

Seul, 12 Abr 2016 (AFP) - Vários idosos de uma cidade da Coreia do Sul supostamente receberam medicamentos para disfunção erétil em troca de votos nas eleições legislativas, informou uma fonte da promotoria, que anunciou uma investigação.

Os sul-coreanos votarão na quarta-feira em eleições marcadas pelas ameaças nucleares da Coreia do Norte e pela crise econômica.

A suposta compra de votos aconteceu na cidade de Suwon, 30 km ao sul da capital, Seul.

"Ainda temos que comprovar as alegações. Caso sejam confirmadas, constituiriam uma infração da lei eleitoral", declarou à AFP o porta-voz da promotoria de Suwon.

Comprar votos na Coreia do Sul pode resultar em uma pena de cinco anos de prisão ou multa de 10 milhões de wons (8.750 dólares).

Na Coreia do Sul, para obter medicamentos contra a disfunção erétil é necessário uma receita médica. A promotoria investiga como é possível que o candidato, que não teve o nome revelado, tenha acesso a tantos remédios, segundo o jornal Dong-A Ilbo.

Qualquer candidato considerado culpado de compra de votos pode ser privado de sua vitória nas eleições.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos