Oposição síria se disporia a governar com 'diplomatas e tecnocratas' do regime

Genebra, 15 Abr 2016 (AFP) - O Alto Comitê de Negociações (ACN) que reúne a oposição síria declarou nesta sexta-feira que estaria disposto a formar um governo de transação com diplomatas e tecnocratas do regime de Damasco, mas não com "aqueles que cometeram crimes".

"Não podemos aceitar a participação no (futuro) corpo de transição de autoridades que cometeram crimes contra o povo sírio", declarou à AFP Salem al-Meslet, porta-voz da coalizão que negocia com o regime em Genebra.

"Mas há muitos diplomatas e tecnocratas (...) e personalidades independentes na Síria" que podem fazer parte do governo, acrescentou.

Na resolução 2254, a ONU prevê a formação de um órgão de transição e a elaboração de uma nova Constituição, antes da realização de eleições presidenciais e legislativas em 2017.

Meslet, que participa com a delegação do ACN nas discussões de Genebra, patrocinadas pela ONU, observou que "o povo sírio terá que nos autorizar a escolher os nomes dos membros" deste órgão. "O (presidente) Bashar al-Assad ou quem quer que tenha cometido crimes contra o povo sírio não poderá participar", insistiu.

A participação do presidente sírio é a principal questão de desavença entre a oposição e o regime. Damasco se diz pronto para preparar um governo de coalizão com a oposição, mas considera que Assad deve permanecer no poder.

De acordo Meslet, os nomes que a oposição considerada aceitáveis ainda não foram discutidos.

lar-gca/apo/pjl/jz/es/meb/mr/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos