Bancos e fundos de investimentos defendem acordo climático

Paris, 19 Abr 2016 (AFP) - Sete organizações, que representam mais de 400 bancos e fundos de investimentos, pediram nesta terça-feira aos membros do G20 que firmem, "o mais cedo possível", o acordo de Paris sobre a mudança climática, acertado na COP21, em dezembro passado.

"As redes mundiais de investidores querem animar os países a firmar o acordo de Paris no dia 22 de abril, nas Nações Unidas, em Nova York", escreveram as sete organizações em um email dirigido "aos chefes de Estado e de Governo das principais economias mundiais".

O documento é firmado por associações de investidores regionais, como a IIGCC, na Europa, INCR, na América do Norte, AIGCC, na Ásia, e IGCC, na Austrália e Nova Zelândia.

A estas associações se somam a maioria dos grandes fundos, bancos e seguradoras, como os americanos Blackrock, Goldman Sachs e Morgan Stanley, os britânicos Aviva, HSBC e RBS, o suíço UBS e o francês Axa.

"Os países que se unirem sem demora ao Acordo de Paris terão uma maior certeza regulamentar, que ajudará a atrair bilhões de dólares em investimentos para apoiar a transição para uma economia baixa em carbono", destaca o documento.

Entre os 193 Estados das Nações Unidas, 147 se comprometeram a firmar o acordo sobre o clima, segundo Ségolène Royal, ministra francesa da Ecologia e presidente da Conferência da ONU sobre o Clima (COP 21).

gbh/boc/lr

AVIVA

ROYAL BANK OF SCOTLAND GROUP

HSBC HOLDINGS

GOLDMAN SACHS GROUP

BLACKROCK

UBS GROUP AG

AXA

MORGAN STANLEY

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos