Grã-Bretanha celebra os 90 anos da rainha Elizabeth II

Windsor, Reino Unido, 21 Abr 2016 (AFP) - A rainha Elizabeth II da Inglaterra, "a chefe", como chamam os netos, completa 90 anos nesta quinta-feira sem demonstrar sinais de cansaço e recebendo homenagens em todo o país.

A monarca decidiu passar o dia no Castelo de Windsor - uma de suas residências oficiais, 40 km ao oeste de Londres -, onde vai jantar com a família.

Na manhã desta quinta-feira, a rainha passeou e saudou as milhares de pessoas que se reuniram diante do castelo para felicitá-la.

Elizabeth II, acompanhada a alguns metros de distância pelo marido, o príncipe Philip de Edimburgo, recebeu muitas flores dos súditos.

Ao final do passeio, a rainha cortou o bolo de três andares preparado por Nadiya Jamir Hussain, vencedora do programa de TV "The Great British Bake Off", enquanto as pessoas cantavam "Parabéns a Você".

"Envio meus melhores desejos aqueles que estão celebrando seu 90º aniversário em 21 de abril de 2016. Nesta oportunidade, transmito a todos vocês minha mais sincera felicitação", disse a rainha na única mensagem pública divulgada nesta quinta-feira.

Durante os quase 64 anos de reinado, Elizabeth II viu 18 primeiros-ministros britânicos e 15 presidentes dos Estados Unidos, o que representa um terço dos chefes de Estado da ex-colônia britânica

"Não há ninguém na vida pública a quem um primeiro-ministro possa falar com maior confiança", disse o primeiro-ministro David Cameron no Parlamento.

Cameron a descreveu como uma "rocha a que se pode agarrar" para os britânicos.

Elizabeth II nasceu em Londres em 21 de abril de 1926. Quando assumiu o trono em 1952, com apenas 25 anos, Winston Churchill era primeiro-ministro, a Índia acabava de obter a independência, a Grã-Bretanha ainda administrava partes da Ásia e África e Josef Stalin governava a União Soviética com mão de ferro.

Os anos passam - é o monarca mais longevo da história britânica - e a rainha continua comparecendo a compromissos, mais de 300 em 2015, despachando semanalmente com o primeiro-ministro, recebendo informações diárias das atividades do Parlamento, alojando governantes estrangeiros nas visitas de Estado e realizando ela mesma as suas, apesar dos territórios mais afastados da Commonwealth, como a Austrália, terem sido marginalizados de sua agenda.

Shakespeare e salvas de canhão em homenagemO príncipe Charles leu em homenagem nesta quinta-feira um trecho de Henrique VIII de William Shakespeare, cuja morte completa 400 anos no sábado, o que constitui a outra grande efeméride britânica da semana.

O filho de Elizabeth II recitou na rádio BBC um trecho do discurso do arcebispo Thomas Cranmer ao rei Henrique VIII por ocasião do nascimento da futura rainha Elizabeth I, no qual deseja muitos anos de vida.

"Será, para felicidade da Inglaterra, uma princesa anciã; muitos dias a verão, e no entanto não passará um sem um feito com que coroá-lo", recitou o príncipe Charles, que aos 67 anos se tornou o herdeiro ao trono britânico mais idoso.

O serviço postal preparou para a ocasião uma série de selos com o rosto de Elizabeth e a dos três primeiros membros da família real na linha de sucessão - os príncipes Charles, William e George -, reunindo pela primeira vez quatro gerações reais em um símbolo filatélico.

O Parlamento será iluminado com as cores vermelho, azul e branco em sua homenagem e o exército disparou salvas de canhão na Torre de Londres e no Hyde Park.

A celebração oficial - com desfile militar e um grande piquenique no Mall, a avenida diante do Palácio de Buckingham -, no entanto, só deve acontecer em junho, de acordo com a tradição dos reis britânicos, que esperavam o bom tempo para festejar o aniversário.

PopularidadeUma nova pesquisa mostra que a população britânica deseja que as coisas permaneçam como estão atualmente: 70% acreditam que Elizabeth II deveria reinar o maior tempo possível, o maior índice desde 1981.

O apoio à monarquia continua elevado, com 76% de aceitação, segundo a pesquisa do instituto Ipsos-Mori para o King's College de Londres.

O príncipe William, que com a esposa Catherine e os filhos pequenos conseguiu dar uma nova energia à família real, prestou homenagem à matriarca, que ele e o irmão Harry chamam de "a chefe".

"Sou incrivelmente afortunado por ter minha avó em minha vida. À medida que se aproxima dos 90, tem uma energia extraordinária", disse durante a semana.

A celebração continuará na sexta-feira, quando o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e sua esposa Michelle devem parabenizar a rainha durante um almoço em Windsor.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos