País da UE pode negar reagrupamento familiar se demandante não tiver recursos

Luxemburgo, 21 Abr 2016 (AFP) - O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) confirmou em uma sentença, nesta quinta-feira, a legislação comunitária segundo a qual um Estado-membro pode recusar o reagrupamento familiar a um migrante se considerar que este não terá "recursos fixos e regulares suficientes" durante o ano que segue sua solicitação.

O caso foi apresentado à justiça europeia pelo Tribunal Superior de Justiça do País Basco ao qual apelou um titular, não europeu, de uma autorização de residência, a quem as autoridades espanholas haviam negado o reagrupamento familiar "por não acreditar dispor de recursos suficientes".

A justiça basca questionava sobre a compatibilidade desta disposição espanhola com a lei europeia sobre o reagrupamento familiar.

A legislação europeia dispõe, recorda o TJUE, que o reagrupamento familiar "não será reconhecido" se for determinado que o demandante não tem "perspectivas de que sejam mantidos os recursos financeiros durante o ano posterior à data da apresentação da solicitação".

Estas "perspectivas", completa o tribunal em sua sentença desta quinta-feira, "serão avaliadas levando em conta a evolução dos recursos financeiros do reagrupante nos seis meses prévios à data de apresentação da solicitação".

Por isto, conclui, a normativa espanhola é compatível com a legislação europeia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos