Iêmen: Conselho de Segurança da ONU pede concessões a negociadores

Nações Unidas, Estados Unidos, 25 Abr 2016 (AFP) - O Conselho de Segurança das Nações Unidas reafirmou nesta segunda-feira seu apoio às negociações de paz no Iêmen e pediu às partes envolvidas dar demonstrações de flexibilidade e boa fé.

Em uma declaração alcançada por unanimidade, o Conselho celebra o início de um cessar-fogo em 11 de abril e o início, na quinta-feira passada, de negociações no Kuwait, com a participação do mediador da ONU, Ismail Ould Cheikh Ahmed.

No texto, o Conselho de Segurança pede para "estabelecer um mapa do caminho" para aplicar "medidas de segurança", como a retirada de armas pesadas e permitir o restabelecimento de atividades nas instituições públicas.

O Conselho "toma nota das consequências humanitárias do conflito para o povo iemenita e destaca que, diante da ausência de uma solução política, a situação humanitária vai piorar".

O conflito no Iêmen começou meses depois de os insurgentes terem lançado uma ampla ofensiva, em julho de 2014, de seu reduto no norte, o que lhes permitiu se apoderar de amplas regiões, inclusive a capital, Sanaa, com a ajuda de unidades militares fiéis ao ex-presidente Ali Abadallah Saleh.

No fim de março de 2015, a Arábia Saudita se pôs à frente de uma coalizão militar sunita para impedir o avanço dos huthis. O governo, ajudado pela coalizão, reconquistou em 2015 vastas regiões, sobretudo no sul, mas o conflito ficou emperrado.

Desde o início da intervenção saudita, 6.400 pessoas morreram, enquanto 2,8 milhões foram deslocadas e 80% da população precisam de ajuda humanitária, segundo números das Nações Unidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos