Jornalistas condenados na Turquia por reprodução de charge de Maomé

Ancara, 28 Abr 2016 (AFP) - Um tribunal de Istambul condenou nesta quinta-feira dois jornalistas turcos a dois anos de prisão cada pela reprodução, em 2015, de uma charge de Maomé publicada na revista francesa Charlie Hebdo, indicou à AFP seu advogado.

"O tribunal os condenou a uma pena de prisão de dois anos", afirmou o advogado de defesa Bülent Utku, que pretende apelar da sentença.

No dia 14 de janeiro de 2015, Hikmet Cetinkaya e Ceyda Karan, dois jornalistas da publicação de oposição Cumhuriyet, acompanharam um editorial sobre os atentados contra a Charlie Hebdo de 7 de janeiro com reproduções da revista onde aparecia uma charge de Maomé.

O desenho em questão representa Maomé chorando e carregando um cartaz que diz "Je suis Charlie", o lema que surgiu na França e em todo o mundo após os atentados jihadistas de janeiro em Paris que deixaram 17 mortos.

fo-ba/ib/pc/mb/ma/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos