Governo e separatistas acertam trégua de Páscoa na Ucrânia

Kiev, 29 Abr 2016 (AFP) - O governo ucraniano e os separatistas pró-russos do leste do país concordaram, nesta sexta-feira, em aplicar uma trégua no período de Páscoa celebrado neste fim de semana pelos ortodoxos.

Uma porta-voz do representante da presidência ucraniana nas negociações - realizadas sob patrocínio da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) - declarou que a trégua entra em vigor à meia-noite desta sexta (18h no horário de Brasília) nas províncias rebeldes de Lugansk e de Donetsk.

Esse anúncio é feito na mesma semana em que a OSCE lançou um alerta, na última quarta (27), contra o recrudescimento das violações do cessar-fogo existente. Este último resultou dos acordos de paz concluídos graças a uma mediação internacional em Minsk, na Belarus, em fevereiro de 2015.

"Foi decretado que a ordem seria dada a todos os responsáveis no terreno de respeitar, estritamente, o cessar-fogo", escreveram as partes em um comunicado comum.

O texto foi reproduzido no Facebook pela porta-voz ucraniana Darka Olifer.

Em sua principal página na Internet, os rebeldes separatistas disseram que a OSCE se comprometeu a monitorar o respeito da trégua, que ficará em vigor durante a Páscoa. Essa trégua deve continuar até as comemorações em 9 de maio, nas regiões rebeldes, da vitória sobre a Alemanha nazista.

O site separatista destacou, porém, que "pelo menos sete tréguas" foram decretadas desde o início das negociações de paz em Minsk, no final de 2014. A cada tentativa, o cessar-fogo é rompido.

Desde o início do conflito, em abril de 2014, o número de mortos chega a 9.300.

Em nota divulgada nesta sexta à noite, a França pediu "às partes que respeitem estritamente" o novo acordo.

"Esse acordo, que surge após um aumento preocupante dos combates no leste da Ucrânia, é uma oportunidade para restabelecer a paz", destacou, na nota oficial, o porta-voz da Chancelaria francesa, Romain Nadal.

Em um comunicado, o ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, também ressaltou o fato de o acordo ser uma chance "de evitar uma nova escalada da violência".

Segundo as partes envolvidas no conflito ucraniano, a reunião de hoje não chegou a um acordo sobre uma troca de prisioneiros prevista para acontecer na Páscoa.

A porta-voz ucraniana declarou ainda que nenhum progresso foi feito em relação à organização de eleições locais nas regiões em mãos rebeldes.

"Não podemos tratar das questões políticas, incluindo aquelas sobre as eleições nas regiões do leste - que não estão sob controle da Ucrânia - sem antes chegarmos a um acordo sobre como acabar com a violência", postou Olifer no Facebook.

zak/har/tt/lr

Facebook

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos