China planeja libertar último preso de Tiananmen

Pequim, 3 Mai 2016 (AFP) - A China planeja libertar o último preso detido pelos protestos na praça Tiananmen em 1989, depois de quase três décadas de detenção, indicou uma ONG de direitos humanos baseada nos Estados Unidos.

Miao Deshun, de 51 anos, será libertado em outubro, segundo a Duihua Foundation. O indivíduo passou 27 anos na prisão por seu envolvimento nos protestos em massa que na época foram brutalmente reprimidos pelo governo chinês.

Declarado culpado de incêndio criminoso por supostamente ter lançado cestos em um tanque incendiado, Miao foi condenado em agosto de 1989 à pena capital, que foi comutada por prisão perpétua.

Posteriormente, Miao Deshun obteve várias reduções de pena por bom comportamento.

Miao, que sofre de hepatite B e de esquizofrenia, não tem contato com o mundo exterior há anos e sua família parou de visitá-lo há mais de uma década, segundo a ONG.

Na madrugada de 4 de junho de 1989, após sete semanas de mobilização de manifestantes que exigiam reformas democráticas na China, soldados e tanques do regime comunista atacaram, abrindo fogo contra uma multidão até a praça Tiananmen, no centro da capital.

Não foi divulgado um balanço oficial, mas fontes independentes falam de centenas e de inclusive mil mortos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos