Pequim rejeita críticas da ONU contra lei sobre ONGs estrangeiras

Pequim, 4 Mai 2016 (AFP) - A China considerou nesta quarta-feira que a condenação das Nações Unidas de sua controversa nova lei sobre as ONGs estrangeiras está "cheia de preconceitos e sem fundamento", e exigiu que a instituição retire sua declaração.

O texto, que o Parlamento chinês - controlado pelo Partido Comunista - aprovou quase por unanimidade na semana passada, amplia os poderes da polícia sobre estas organizações e as proíbe de recrutar membros ou recolher fundos no país.

Ao menos mil ONGs estrangeiras trabalham na China, de organismos beneficentes a grupos de defesa do meio ambiente, passando por estruturas universitárias.

Três relatores especiais da ONU para os direitos humanos consideraram que as disposições da lei são "extremamente amplas e vagas" e que elas "podem ser utilizadas para intimidar ou asfixiar qualquer opinião ou ponto de vista divergente no país", segundo o site do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

Pequim se "opõe firmemente" a esta declaração, que constitui uma "ingerência flagrante na soberania jurídica e de assuntos internos da China", declarou Hong Lei, porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores durante uma coletiva de imprensa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos