Londres critica Moscou por impedir condenação de ataque a Aleppo

Nações Unidas, Estados Unidos, 5 Mai 2016 (AFP) - A Grã-Bretanha criticou a Rússia nesta quinta-feira por bloquear uma declaração do Conselho de Segurança da ONU que condena a ofensiva militar das forças sírias na cidade de Aleppo.

A declaração foi distribuída aos 15 membros do Conselho na quarta-feira, durante uma reunião de urgência sobre Aleppo, mas acabou descartada pelo embaixador russo Vitaly Churkin, que a considerou um "golpe de propaganda".

O embaixador britânico Matthew Rycroft disse que a negativa da Rússia em apoiar a declaração "diz muito sobre o apoio russo ao regime de Assad".

As forças do presidente Bashar al Assad lançaram uma ofensiva em Aleppo no dia 22 de abril, com o objetivo declarado de desalojar grupos jihadistas, mas fontes ocidentais acusam Damasco de atacar alvos civis, como hospitais e mercados.

"É realmente tempo de que cada membro do Conselho de Segurança use cada gota de influência que lhe reste sobre o regime de Assad para que respeite a suspensão das hostilidades, assim como cada uma das obrigações estipuladas pela lei humanitária internacional", disse Rycroft.

Ao menos 28 civis, incluindo crianças, morreram em bombardeios aéreos contra um campo de refugiados no norte da Síria, onde estão famílias que escaparam da cidade de Aleppo, informaram nesta quinta-feira ativistas na região.

O projeto de declaração propunha condenar a violência em Aleppo, atribuindo ao regime a responsabilidade pela ofensiva militar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos