STF suspende mandato de Cunha na presidência da Câmara

Brasília, 5 Mai 2016 (AFP) - O juiz Teori Zavascki suspendeu nesta quinta-feira por obstrução da justiça o presidente da Câmara de Deputados Eduardo Cunha.

A sentença é uma medida cautelar e atende a um pedido do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que afirma que o deputado federal usa seu cargo "em interesse próprio e ilícito para evitar que as investigações contra ele continuem e cheguem ao esclarecimento de suas condutas".

"Não existe a menor dúvida de que o investigado não possui condições pessoais mínimas para exercer, neste momento, em sua plenitude, as responsabilidades do cargo de presidente da Câmara de Deputados, pois não se qualifica para a substituição da Presidência da República", assinala a decisão de Teori Zavascki.

Cunha é o segundo na linha de sucessão presidencial e, se Dilma Rousseff for suspensa pelo Senado dentro do início do processo de impeachment atualmente em julgamento, seria o substituto do vice-presidente Michel Temer.

A decisão do Senado a respeito da destituição de Dilma está prevista para 11 de maio.

Político hábil e polêmico, Cunha é acusado por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro referentes ao megaescândalo do Petrolão.

Em dezembro, ameaçado de perder seu mandato por falta de ética, autorizou o pedido de impeachment contra a presidente em função das chamadas pedaladas fiscais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos