Condição de Santos de fim dos sequestros é impedimento à paz, diz ELN

Bogotá, 8 Mai 2016 (AFP) - A condição do presidente da Colômbia Juan Manuel Santos de que a guerrilha ELN ponha fim à prática de sequestros para que as negociações sejam formalmente iniciadas impede a paz, disse neste domingo a organização rebelde.

"A condição que o presidente Santos impôs ao processo de diálogo se transformou em um impedimento para a paz", disse o grupo guerrilheiro através de sua conta do Twitter.

No comunicado, o Exército de Libertação Nacional (ELN, guevarista) assegurou que a declaração do presidente é "uma imposição, por enquanto é só uma parte que deve cumpri-la, à margem do acordo da agenda".

"Planejar hoje modificações substanciais, como a exigência do presidente, é trancar o processo de paz", reiterou o grupo rebelde, que classificou o pronunciamento de Santos como uma "ofensiva midiática que está desgastando a confiança" do ELN.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos