Incêndios em Fort McMurray: evacuação foi 'um milagre', diz premiê

Fort McMurray, Canadá, 9 Mai 2016 (AFP) - A evacuação da cidade canadense de Fort McMurray, ameaçada por enormes incêndios florestais, foi feita sem que tenha sido registrada nenhuma vítima, "um milagre", declarou na tarde desta segunda-feira a primeira-ministra de Alberta, Rachel Notley.

"Foi um milagre que tenhamos podido evacuar toda a população" de forma segura e em algumas horas, avaliou Notley, ao final da primeira visita de inspeção a uma cidade que, apesar de tudo, ficou "90% intacta".

Os enormes incêndios exigiram a evacuação preventiva de cem mil pessoas, cujo retorno, segundo os bombeiros, não está previsto em pelo menos duas semanas.

Os bombeiros continuavam protegendo as infraestruturas da ameaça das chamas nos arredores da cidade, especialmente as instalações petroleiras, que são o pulmão econômico da província de Alberta.

Os meios envolvidos na luta contra o fogo, que tem 34 focos, dos quais cinco ainda estão fora de controle - em uma província do tamanho da França - são impressionantes: cerca de 1.500 bombeiros, 150 helicópteros e 30 aviões.

A isso, somam-se 300 máquinas que permitem arrancar ervas daninhas e árvores a dezenas de metros das infraestruturas e, assim, protegê-las das chamas.

Embora o fogo continue avançando nas florestas do leste da Fort McMurray, as condições meteorológicas - um ar mais úmido, pancadas de chuva isoladas e ventos menos intensos - retardavam seu avanço e davam um pouco mais de esperança.

Estas condições ajudavam os bombeiros a manter as chamas longe das minas de areia betuminosa das companhias petrolíferas, edifícios industriais e todas as estruturas necessárias para o regresso dos residentes.

Avaliação dos danosO primeiro objetivo das autoridades é garantir as condições de segurança para o retorno dos moradores, mas também permitir a retomada do trabalho das empresas, a administração pública e o comércio.

Após uma semana dedicada à retirada dos moradores, a segunda fase consiste agora em "avaliar os danos para identificar" as prioridades, explicou Scott Long, diretor dos serviços de emergência de Alberta.

"A reconstrução da zona atingida não será rápida ou fácil (...) e é essencial garantir que isso seja feito com segurança", afirmou, por sua vez, Ralph Goodale, ministro Federal da Segurança Pública, que pediu às pessoas para serem pacientes.

O primeiro passo será levar transformadores e equipamentos de geração de energia, restabelecer as unidades de tratamento de água, retomar o trabalho do hospital e das clínicas, bem como das escolas e dos serviços municipais, explicou Scott Long.

As companhias de petróleo fecharam várias de suas unidades de produção na região, com a consequente queda na produção da ordem de 1 a 1,5 milhão de barris por dia. Uma dificuldade que deve durar vários dias, o tempo necessário para trazer de volta milhares de empregados.

AjudaEmbora o centro de Fort McMurray não tenha sido afetado pelos incêndios, algumas áreas residenciais a oeste e norte da cidade foram devastadas, com as casas de milhares de pessoas reduzidas a cinzas.

As pessoas evacuadas foram alojadas em centros de acolhida temporários, dormitórios universitários e campings, todos a centenas de km de Fort McMurray.

Uma comunidade aborígine estabelecida ao sudeste de Fort McMurray, que continua ameaçada pelo fogo, recebeu 5 toneladas de suprimentos por helicóptero.

Milhares de pessoas evacuadas receberão ajuda do governo regional antes de quarta-feira. A ajuda foi fixada em 1.250 dólares canadenses (cerca de US$ 1.000) por adulto e 500 por dependente.

As companhias de seguros também desbloquearam fundos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos