Ex-marine denuncia Irã por abusos físicos durante sua captura

Washington, 10 Mai 2016 (AFP) - Um ex-marine, que foi acusado pelo Irã de espionagem e que ficou detido naquele país durante quatro anos e meio, apresentou uma ação contra Teerã pelo "prolongado e contínuo abuso físico" que sofreu enquanto esteve preso.

De acordo com a ação apresentada em Washington na segunda-feira, Amir Hekmati, um homem com dupla nacionalidade iraniana e americana, proveniente de Michigan, foi submetido a abusos psicológicos e físicos enquanto esteve detido na prisão iraniana de Evin.

Hekmati foi liberado em um intercâmbio de prisioneiros em janeiro. Junto com ele foram libertados outros três iraniano-americanos e um americano em troca do indulto de Washington a sete iranianos e da retirada da ordem de prisão para outros 14.

Durante o tempo em que esteve detido, Hekmati foi "açoitado na parte inferior dos pés, atacado com uma arma Taser na região dos rins, obrigado a permanecer em posições incômodas durante horas e levou golpes de bastão", segundo a ação.

O ex-marine tinha ido visitar familiares em Teerã em agosto de 2011 quando foi detido por policiais iranianos.

wat-lby/jm/tm/yow/cb/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos