Desemprego na América Latina aumentará 7% em 2016: Cepal-OIT

Santiago, 11 Mai 2016 (AFP) - O desemprego na América Latina aumentará 7% durante 2016 pela deterioração das economias regionais, segundo um relatório conjunto da Cepal e da OIT apresentado nesta quarta-feira em Santiago.

"A evolução dos mercados de trabalho na América Latina e no Caribe durante 2016 será em geral negativa, devido à previsão de um contexto macroeconômico e de crescimento mais deteriorado do que no ano passado", descreveu o relatório da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Em 2015, pela primeira vez em seis anos, o desemprego aumentou na região, chegando a 6,5% da força de trabalho, em comparação aos 6% de 2014.

Um fraco dinamismo na geração de empregos voltará a atingir os dados do emprego, com um aumento estimado para este ano de mais meio ponto percentual em relação a 2015, chegando a a 7% da força de trabalho, indica o relatório.

"O processo de contínua melhora dos indicadores de trabalho que beneficiou a região durante grande parte dos últimos 15 anos freou em um contexto macroeconômico global mais desfavorável", disse Alicia Bárcena, secretária-executiva da Cepal e José Manuel Salazar, diretor regional da OIT para América Latina, no documento.

Em 2015 o aumento do desemprego "foi produto de uma maior entrada de pessoas buscando emprego no mercado de trabalho em comparação com os anos anteriores, mas não houve empregos suficientes devido ao menor dinamismo da economia", explica o estudo.

Este não é, entretanto, um fenômeno generalizado na região: apenas em sete dos 19 países da América Latina e do Caribe a taxa de desemprego aumentou, enquanto em nove caiu e em outros três se manteve praticamente estável.

Nos países da América Central, México, República Dominicana e nos países Caribe a evolução do mercado de trabalho foi mais favorável do que na América do Sul, cujo desempenho se viu afetado pelo impacto do contexto externo em sua atividade econômica e na inflação, entre outros fatores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos