Atentados no Iêmen matam 13 soldados

Aden, Iêmen, 12 Mai 2016 (AFP) - Ao menos 13 soldados iemenitas morreram nesta quinta-feira em três atentados suicidas atribuídos a extremistas no sudeste do Iêmen.

Uma fonte militar atribuiu à Al-Qaeda a autoria dos atentados com carros-bomba em Jalf, nas proximidades de Mukalla, capital da província de Hadramut, mas o grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou um ataque no setor.

Um suicida forçou a passagem na entrada de uma base militar e detonou o carro-bomba, abrindo o caminho para um segundo carro-bomba, que explodiu dentro da base.

Ao mesmo tempo foram registrados confrontos armados fora da base entre militares e criminosos, segundo a mesma fonte.

Um terceiro carro-bomba explodiu em frente à residência do comandante da segunda região militar, general Faraj Salmin, mas o oficial não ficou ferido.

"Ao menos 13 soldados morreram e outros ficaram feridos os atentados e confrontos com os combatentes da Al-Qaeda", declarou à AFP um comandante militar, que citou um balanço provisório.

O EI reivindicou um atentado em Jalaf. Em um comunicado divulgado na internet, o grupo afirma que um suicida, identificado como Hamza al-Muhajer, "explodiu seu carro-bomba contra um quartel-general dos milicianos apóstatas (do presidente Abd Rabbo Mansur Hadi) (...) causando mortos e feridos".

Os ataques ao leste de Mukalla foram cometidos antes da chegada de uma delegação governamental, liderada pelo primeiro-ministro Ahmed ben Dagher, para uma visita simbólica a esta cidade, retomada em 24 de abril dos jihadistas da Al-Qaeda, que controlaram a localidade durante um ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos