Ex-mordomo de Trump defende fuzilamento de Obama

Washington, 13 Mai 2016 (AFP) - O Serviço Secreto americano, encarregado da proteção pessoal do presidente dos Estados Unidos, disse nesta quinta-feira "estar a par" dos "posts" no Facebook de um antigo mordomo de Donald Trump sobre matar Barack Obama.

As declarações de Anthony Senecal, de 84, foram publicadas pela revista "Mother Jones", que teve acesso às suas mensagens no Facebook.

Depois de trabalhar por 17 anos como mordomo do magnata e virtual candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, Senecal se tornou o "historiador" do clube de Mar-a-Lago da Flórida - que pertence a Trump.

Em um dos posts, publicado na quarta-feira e visível apenas para seus amigos, Senecal afirma que Obama "deveria ter sido pego por nossos militares e fuzilado como um agente inimigo durante seu primeiro mandato. Em vez disso, continua no poder".

Em abril de 2015, o ex-mordomo já lançava insultos contra o presidente, defendendo, entre outras coisas, que "deveria ser enforcado por traição". No mês seguinte, Senecal continuava recomendando a forca para Obama, completou a revista.

O funcionário de Trump confirmou ao periódico que, de fato, escreveu essas mensagens no Facebook.

Ao ser questionada pela reportagem, a equipe de campanha de Trump respondeu: "esse indivíduo não trabalha há anos em Mar-a-Lago".

O Serviço Secreto "está a par e fará uma investigação apropriada", declarou um porta-voz à AFP.

Senecal diz não ter sido pago para ser o "historiador" de Mar-a-Lago, onde vivia desde o final dos anos 1950, mas contou que ganha dinheiro organizando visitas ao clube privado.

jca-bd/elc/md/fj/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos