Ex-gerente de petroleira equatoriana é detido por caso 'Panama Papers'

Quito, 16 Mai 2016 (AFP) - O ex-gerente da petroleira estatal equatoriana Petroecuador Alex Bravo foi detido por suposto tráfico de influência revelado pelo escândalo dos "Panama Papers", informou o governo do Equador nesta segunda-feira.

Bravo "foi detido nesta manhã para investigação", disse à imprensa o assessor jurídico da Presidência, Alexis Mera, no Palácio de Carondelet, sede do Executivo no centro de Quito.

Mera acrescentou que nos "Panama Papers" há informação que o "governo deve investigar" e que faz referência a Bravo, que de acordo com o presidente Rafael Correa foi destituído do cargo que ocupou entre novembro de 2015 e abril deste ano.

Bravo e sua esposa teriam vínculos com diversas empresas offshore criadas no Panamá desde 2011, cinco delas através do escritório de advocacia panamenho Mossack Fonseca, e em outros paraísos fiscais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos