Clinton e Trump escolhem companheiro de chapa para turbinar campanha

Washington, 17 Mai 2016 (AFP) - A disputa feroz pelas candidaturas a vice-presidência nos Estados Unidos já começou. Os companheiros de chapa não costumam ter um papel decisivo para vencer uma eleição para a Casa Branca, mas em uma votação disputada como a que se anuncia este ano, que peso terão?

A candidatura presidencial da democrata Hillary Clinton carece de brilho em comparação com a do republicano Donald Trump, mas a ex-secretária de Estado poderia dar uma sacudida em sua campanha com um bom companheiro de chapa.

Trump tem, talvez, um problema oposto: o prolixo magnata nunca foi eleito para um cargo e acredita-se que nomes de políticos experientes possam dar maior seriedade à sua campanha com altos índices de adesão.

Recentemente, o favorito à indicação republicana disse que esperava escolher alguém com experiência no governo e capaz de ajudá-lo a trabalhar com o Congresso.

Aqui seguem os potenciais companheiros de chapa de Clinton e Trump:

Democratas:- Bernie Sanders -

Com 74 anos, o adversário interno de Clinton no partido tem seguidores apaixonados que poderiam dar um impulso à sua campanha. Ela também poderia abraçar parte da "revolução política" de Sanders, como a luta contra a desigualdade.

Mas Sanders se autodefine como um socialista democrático, e poderia fazer soar os alertas.

"Uma coisa pelo qual os democratas têm que se preocupar é não levar os republicanos a escolherem alguém temível como vice-presidente", que permita aos eleitores republicanos dizerem: 'Vou manter meu voto em Trump", disse à AFP o professor de ciências políticas Michael Munger, da Universidade de Duke.

- Elizabeth Warren -

Enérgica senadora por Massachusetts e super-estrela liberal, Warren (66) pode ajudar Clinton a adicionar os apoios de Sanders em apenas uma batida de coração.

Os partidários desta advogada dos direitos dos consumidores pressionaram para que ela se lançasse à corrida presidencial, mas Warren declinou.

Poderia uma chapa com duas mulheres espantar eleitores masculinos? "Provavelmente boa parte dos votantes que se sentem ofendidos com a apresentação de duas mulheres já estão perdidos", disse o professor da Universidade de St. Louis, Joel Goldstein.

- Julian Castro -

Castro (41), ex-prefeito de San Antonio e atual secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano, tem ajudado Clinton a conseguir jovens eleitores hispânicos. Seu nome gera zumbidos iniciais como possível companheiro de chapa.

Quando a CNN perguntou a ele se seria companheiro de chapa de Clinton, respondeu que "isso não vai acontecer".

- Tim Kaine -

"Uma mistura entre Castro e Warren poderia ser o que estão buscando", disse Munger, mencionando o estilo agitador de Warren e o carisma e tranquilidade de Castro.

Esse poderia ser o senador Tim Kaine (58), que ocupa um lugar nos comitês de Relações Exteriores e Serviços Armados.

O ex-governador da Virgínia, Kaine é popular nesse estado-chave, fala fluentemente o espanhol e apareceu na lista de possíveis companheiros de chapa de Barack Obama na campanha de 2008.

- Moderados -

Alguns analistas afirmam que Clinton tem o voto hispânico assegurado, e o que deve cortejar é um setor de votantes mais difícil: os homens brancos.

Mark Warner (61) é um ex-governador moderado da Virgínia e atual senador.

Tom Vilsack (65) serviu oito anos como governador de Iowa e agora é secretário de Agricultura.

Charlie Crist (59) é um ex-governador do estado-chave da Flórida, talvez o maior campo de batalha eleitoral.

Republicanos:- Rob Portman -

Quando foi consultado pela NBC sobre quem Trump deveria escolher, o ex-vice-presidente republicano Dan Quayle respondeu de imediato: Rob Portman (60), senador do estado-chave de Ohio.

Portman, de temperamento tranquilo, diferente de Trump, desempenhou a função de Representante Comercial dos Estados Unidos e diretor do Escritório de Administração e Orçamento no governo de George W. Bush.

- Newt Gingrich -

Presidente da Câmara de Representantes entre 1995 e 1999, Gingrich é muito conhecido - se candidatou à corrida presidencial em 2012 - e acrescentaria um amplo conhecimento sobre o funcionamento do Congresso.

Com 72 anos, Gingrich, que recebe a aprovação Trump, disse à Fox News que não rechaçaria automaticamente uma oferta à vice-presidência.

- Ben Carson -

Trump disse que havia 40% de possibilidade de nomear um ex-rival como companheiro de chapa.

Carson (64), negro e neuro-cirurgião aposentado, se encontra agora em um círculo mais próximo a Trump e tem como tarefa ajudar a selecionar o companheiro de chapa.

- John Kasich -

Renunciou à corrida no início deste mês, e disse que não está interessado em ser vice-presidente. Mas como popular governador de Ohio e ex-congressista, Kasich (64) poderia colaborar com sua experiência e peso para ganhar um estado crucial.

- Uma governadora -

Trump está desvalorizado entre o eleitorado feminino, por isso uma companheira de chapa poderia ser lucrativo.

Recentemente qualificou a governadora de Oklahoma, Maria Fallin (61), como "fabulosa".

A governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley (44), converteu um duro debate após um trágico tiroteio ano passado na plataforma de lançamento político, ao ordenar que retirassem a bandeira dos confederados do capitólio do estado sulista.

Haley, filha de imigrantes indianos, poderia dar credibilidade a Trump no tema migratório, algo que gera profundas divisões.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos