Bruxelas adia a julho decisão sobre sanções à Espanha por déficit

Bruxelas, 18 Mai 2016 (AFP) - A Comissão Europeia decidiu nesta quarta-feira adiar a julho a decisão sobre sancionar a Espanha por seu excessivo déficit público, ao considerar que não era "o momento político", devido às eleições de 26 de junho, para esta decisão inédita na União Europeia.

Portugal, cujas contas públicas registraram um desajuste em 2015, também evitou nesta quarta-feira uma sanção da Comissão, que apresentou suas recomendações sobre as correções dos gastos públicos e o andamento das reformas nos países do bloco.

A Espanha deveria ter alcançado um déficit de 4,2% em 2015 e deixá-lo abaixo de 3% este ano, em conformidade com os objetivos fixados pela Comissão Europeia para que o país adapte suas contas ao Pacto de Estabilidade e Crescimento.

As regras do pacto fixam o objetivo de um máximo de 3% de déficit em relação ao PIB.

Mas o desajuste das contas públicas da Espanha se aprofundou em 2015.

Madri registrou um déficit de 5,1%, segundo a Comissão, que desde o outono passado adverte o governo conservador de Mariano Rajoy sobre as contas públicas.

Para este ano, a Comissão prevê um déficit de 3,9% do PIB, superior ao anunciado por Madri em meados de abril, de 3,6%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos