Líder da igreja católica em Guam nega acusações de abuso sexual

Hagatna, Guam, 18 Mai 2016 (AFP) - O líder da igreja católica em Guam, uma ilha do Pacífico que pertence aos Estados Unidos, negou nesta quarta-feira as acusações de abuso sexual de um homem que foi coroinha em uma igreja onde ele era padre.

"Para que fique claro e para evitar tergiversações em meu comunicado, nego as acusações de abuso sexual", afirmou o arcebispo Anthony Apuron.

Roy Taitague Quintanilla, de 52 anos, afirmou que foi agredido sexualmente há 40 anos, quando era coroinha em uma igreja que tinha Apuron como padre.

Quintanilla apareceu ao lado da família e dos amigos na sede da arquidiocese de Hagatna, capital de Guam, e leu uma carta na qual afirma que foi agredido após uma excursão.

Ele disse que foi agredido em um quarto da casa de Apuron.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos