Otan rejeita integrar coalizão anti-EI, mas sinaliza com cooperação pontual

Bruxelas, 18 Mai 2016 (AFP) - A Organização do Tratado do Atlântico Norte descartou se unir, formalmente, à coalizão contra o Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria, mas deixou em aberto a possibilidade de uma cooperação "prática" - afirmou o embaixador americano na Otan, nesta quarta-feira.

A coalizão é liderada pelos Estados Unidos.

"Concordamos em não entrar na categorização sobre se somos um membro formal da coalizão, ou não, e, simplesmente, superar essa questão e fazermos a pergunta mais prática sobre se há maneiras", declarou o embaixador Douglas Lute, em uma entrevista coletiva na sede da Otan em Bruxelas.

Reunidos nesta quinta-feira e amanhã em Bruxelas, os 28 ministros das Relações Exteriores da Otan vão estudar "se há maneiras (...) para um apoio de capacidades e de outras capacidades (militares) de nicho para contribuir" com a coalizão, explicou Douglas Lute.

Uma das opções à mesa seria intensificar a formação de oficiais iraquianos, atualmente proposta pela Otan na Jordânia.

"Recebemos um pedido do primeiro-ministro (iraquiano), Al-Abadi, para estender nossa missão de treinamento no próprio Iraque", explicou o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, em conversa com a imprensa.

No final de abril, na Alemanha, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, falou na "necessidade de uma Europa forte, que carregue parte de seu fardo" da coalizão anti-EI, pedindo aos europeus e à Otan que "façam mais". O pedido se referia, principalmente, à campanha aérea na Síria e no Iraque.

Na entrevista de hoje, Lute mencionou ainda missões de formação, ou de apoio ao setor da defesa e a reforma do Exército na Líbia, ou na Tunísia.

Segundo ele, os aviões de vigilância Awacs, usados pela Otan, também poderiam contribuir com a coleta de informações sobre o que acontece no céu sírio e iraquiano, mesmo se voarem apenas sobre território turco.

O embaixador americano afirmou, porém, que, nesse estágio, a medida não é necessário. A perspectiva desse deslocamento das aeronaves da Otan suscita fortes reservas em algumas capitais europeias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos