Pobreza aumenta ligeiramente na Europa, segundo OIT

Genebra, 19 Mai 2016 (AFP) - A pobreza aumentou ligeiramente nos últimos anos nos países da União Europeia, segundo relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) publicado nesta quarta-feira.

Dentro da UE a "pobreza relativa" - a parte da população com renda inferior a 60% da média de receita - se manteve estável entre 2005 e 2008 (16,5% da população), mas "desde então este percentual cresceu e passou a 16,8% em 2012 e a 17,2% em 2014", segundo especialistas da OIT.

No mesmo período, este percentual se manteve estável nos Estados Unidos e cresceu ligeiramente no Japão.

Nos países emergentes e em desenvolvimento há cerca de 2 bilhões de pessoas que vivem com menos de 3,10 dólares por dia, em uma situação de "pobreza moderada" que envolve 36% da população destes países, muito abaixo dos 67% em 1990.

Durante este período, a extrema pobreza (menos de 1,9 dólar por dia) nos países emergentes e em desenvolvimento se reduziu rapidamente e em 2012 afetava 15% da população, contra 46,9% em 1990.

Esta mudança é resultado de progressos na China e em boa parte dos países da América Latina.

Mas a pobreza segue elevada na África e em alguns países asiáticos, e tem aumentado nos países desenvolvidos, onde permanece o fechamento de postos de trabalho e a classe média teme uma queda em seu nível de vida, destacam os economistas da OIT.

Nos países desenvolvidos, 36% das crianças vivem na "pobreza relativa".

De maneira global, a pobreza afeta mais as mulheres e as crianças. No caso dos países emergentes e em desenvolvimento, a metade das crianças com menos de 15 anos vive na pobreza moderada ou extrema.

Segundo a OIT, são necessários cerca de dez trilhões de dólares para erradicar a pobreza extrema e moderada no planeta até 2030.

nl-apo/lr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos